Às pessoas com dúvidas acerca da eficácia da fitoterapia (cura pelas plantas) relembro que o café que bebemos vulgarmente é um fitoterápico. Relembro aos defensores da importância do pH que o café, sim, é ácido, e portanto tem inúmeras propriedades, surpreendente hein ?

O café é um dos produtos mais negociado e consumido no mundo. São bebidas cerca de 500 mil milhões de chávenas por dia, o que faz do café a 3ª bebida mais consumida após a água e o chá.(1)(2)

O café tem inúmeros benefícios para a saúde derivados dos seus constituintes. A cafeína é uma molécula presente em muitas folhas, sementes e frutas que entram na nossa dieta. É um antagonista do receptor adenosina, sendo assim um estimulante do sistema nervoso central: aumenta o estado de alerta, a capacidade de aprendizagem e o desempenho. Pode, em indivíduos sensíveis, ter efeitos negativos, como aumentar a ansiedade, taquicardia e insônia durante 2 a 6 horas após a toma.
O ácido clorogénico é o segundo constituinte mais importante do café, e é o principal antioxidante da dieta em muitos países(3)(4)(5). Protege as células do cérebro da excitotoxicidade (fenômeno que leva ao declínio cognitivo e à demência)(6)(7) e baixa a pressão arterial(8).

O café enquanto bebida, 4 chávenas por dia (400mg de cafeína) em adultos e 3 chávenas em mulheres grávidas (300mg de cafeína), não mostrou efeitos negativos sobre a saúde óssea e cardíaca, o comportamento ou sobre a reprodução e desenvolvimento.(9) Até mostrou efeitos positivos nos marcadores de stresse oxidativo, protegendo assim de doenças crônicas(10). Também reduz o risco de diabete tipo 2(11)(12).
Duas metanálises de 2016 e 2017, com um total de cerca de 35000 pessoas, mostram que maior é o consumo de café e menor é o risco de desenvolver Alzheimer e outras formas de demência como também um menor declínio cognitivo.(13)(14)
O café também mostra menores riscos de cancro do estômago(15), fígado(16), cérebro(17), colorretal(18), mama(19), próstata(20), ovários(21) e contra qualquer tipo de doenças em mulheres com mais de 50 anos(22).
A nível do coração, o café melhora a função vascular(23), não aumenta o risco de doença arterial coronária(24) e não aumenta o risco de hipertensão(25).
Para os desportistas, 3 a 7 mg/kg aumenta o desempenho e resistência de cerca de 24%(26).

Existem diferenças entre café em grão moído, café instantâneo e em cápsulas, seja no teor em cafeína, em ácido clorogénico, furanos ou em acrilamida. Os furanos são compostos cancerígenos encontrados em muitos produtos. Apesar de serem encontrados em quantidades seguras podemos à mesma evitá-los ao máximo. A acrilamida é um composto controverso, os estudos realizados em animais mostram neurotoxicidade e um aumento de tumores, no entanto, os estudos em homem não mostram tais resultados, não obstante, está classificada em provavelmente cancerígeno pela IARC(27). É formado no café quando está a ser torrado devido às altas temperaturas, mas também é o caso na batata e os cereais(28). Em caso de dúvida resta-nos diminuir a dose ingerida.

  • Cafeína(29) : café moído (expresso) 106mg/chávena; café solúvel 68mg/chávena
  • Ácido clorogénico (mais é melhor)(30): café solúvel equivalente ao café moído
  • Antioxidantes (31) : café solúvel tem a maior quantidade de fenóis e flavonóides e a maior capacidade antioxidante, seguido pelo expresso e o café de filtro
  • Acrilamida (menos é melhor)(32) : substitutos (chicoria, cevada, centeio) 3,21 µg/chávena; café solúvel 0,93 µg/chávena; café moído 0,45 µg/chávena
  • Furanos (menos é melhor)(33) : cápsula 117-244 ng/ml; expresso 43-146 ng/ml; café de filtro 20-78 ng/ml; café solúvel 12-35 ng/ml

Se o nosso objetivo for a saúde, queremos em prioridade os antixoxidantes e ácido clorogénico e diminuir ao máximo a acrilamida e os furanos, o café solúvel é então a melhor escolha. Além de mais, o preço é muito menor e é mais rápido de se fazer. Pelo teor de cafeína ser em média menor, pode-se então beber mais chávenas e assim ingerir mais antioxidantes e ácido clorogénico.
Para as pessoas sensíveis à cafeína, recomendo beber café descafeinado ou chá, verde ou preto, em vez dos substitutos derivados de chicória ou de cevada.
A nível de expresso as cápsulas são de evitar (mais furanos, menos ecológico e mais caro). O café em grão pode ser uma boa escolha mas é preciso ter em conta o facto do café, uma vez moído, perder as suas propriedades e desenvolver fungos; tenha atenção na forma como o conserva, o ideal seria de o moer mesmo antes de o usar.

Atenção: o café não é a única fonte de cafeína, é por isso preciso ter em conta o chocolate, coca, chá e bebidas energéticas em conta.