Acédulado, mas que raio de nome é esse ?

Em resumo quero fazer crescer a Naturopatia através do senso crítico, acredito que cada um de nós pode alcançar a saúde, basta para isso estar bem informado e bem aconselhado por todas as medicinas e terapias.

Para dizer a verdade, não me lembro da forma como me ocorreu o nome mas sei a sua origem : é a junção de "acidulado + cédula" mas também é a criação de "a- + cédula".
Um artigo de lei fez com que só quem acabasse em 2014 poderia requisitar cédula profissional e assim exercer Naturopatia. Enquanto estudante do quarto ano de Naturopatia só acabarei o curso em 2018, ou seja, pela situação atual nunca poderei ter cédula, sou então acédulado ("a-" prefixo de negação, como em atípico por exemplo). Isso é uma das razões que me pode tornar acidulado, ou seja, ligeiramente ácido, crítico, mas há muitas outras razões.
Quando iniciei o curso era bastante "extremista", e como em todos os casos de extremismo, era devido sobretudo à ignorância. A beleza da Internet reside na liberdade e essa livre expressão leva qualquer um de nós a ler tudo e mais alguma coisa. Se há coisas certas há também muita mentira, ou pelo menos verdades mal contadas, e até conspiracionismo. Não digo que não haja verdades absolutas, mas são muito raras. O que há, de facto, são factos. Indicações, um acumulo de provas. E muitas vezes, ouvem-se grandes verdades e fica aqui a dica : quando parece demasiado enorme é porque alguma coisa não bate certo.
Passei por várias fases que chamaria de consciência ilusória, interessei-me à saúde, à causa animal, à ecologia. Temas que ainda hoje me fascinam mas já com outros olhos. Em tudo se deve encontrar equilíbrio, nem tanto ao mar, nem tanto à terra. Vou só aqui abordar rapidamente o tema das medicinas.
A medicina convencional tem os defeitos que tem, mas as "medicinas alternativas" têm os seus também. Espero nunca te acontecer amigo leitor, mas o dia que um acidente lhe bater à porta vá a correr para o hospital, os médicos de lá farão tudo o que for possível. A medicina convencional é excelente quando se trata de problemas agudos e graves mas, felizmente, eles são raros comparados aos problemas crônicos, onde aí, as medicinas alternativas, ou não convencionais, mostram melhores resultados. A Naturopatia e Osteopatia, quando exercida por terapeutas sérios (aqui está outro problema), têm capacidade de oferecer uma qualidade de vida extraordinária aos pacientes. O melhor ainda resta a prevenção. É por isso que sou defensor de uma medicina integrativa (medicina convencional em equipa com as medicinas não convencionais). Devemos todos trabalhar em conjunto e ter como único objetivo o melhor do paciente e mesmo que para isso tenhamos de reconhecer as nossas fraquezas. Umas das críticas, e mais uma razão de me tornar acidulado, que faço às medicinas alternativas são de dar "abrigo" e querer defender tudo o que se quer alternativo e é por essa razão que, para a grande maioria das pessoas, a medicina alternativa não passa de uma brincadeira : chazinhos, "aquilo das agulhas", "tudo faz mal, é incrível, sempre comi, não é agora que...", etc. Irei, em próximos artigos, abordar em detalhe temas que me irritam nas medicinas alternativas mas fica para já aqui esta ideia.
Repito a minha crença : sim, temos de falar no que somos bons, mas temos também de ser críticos para poder avançar.

Acredito piamente que quando a Naturopatia reconhecerá as suas fraquezas e deixará de defender o risível será levada mais a sério quando fala no bom que tem a oferecer.

Enquanto não posso fazer clínica posso ao menos divulgar e acredito que cada um de nós tem em si o poder e toda a força necessária para ter saúde. Apesar de haver azar, tudo o que está ao nosso alcance tem de ser alcançado, é da nossa responsabilidade o estado de saúde que temos e de mais ninguém.

Somos uma só espécie, num só planeta. Apesar de pensar que conquistar outros planetas seria fantástico para isso é necessário perdurar até lá; o que significa ter saúde, cuidar do nosso lar, abrir-se a entreajuda e ter uma descendência forte.
A Naturopatia no fundo quer isso, daí a sua ligação ao tradicional (conhecimento transmitido de geração em geração), mas enquanto muitos dos terapeutas estão virados para o passado, defendendo práticas duvidosas, eu gosto de olhar para o futuro e tenho fé no progresso.
Para construir é preciso um olhar crítico e para isso saber deitar abaixo o medíocre e reconstruir perpetuamente.

Daí então o sabor acidulado da minha escrita.